SoulRock

Música independente brasileira

Ventre

25 de maio de 2016 Bandas /

ventre_banda_pedro arantes
Foto: Pedro Arantes

 
Foram dois anos desde que a Ventre apareceu para o cenário musical com seus primeiros vídeos ao vivo ("Carnaval" e "Pernas"). Foi um período de criação e experiência intenso, em que o power trio testou e amadureceu sua sonoridade ao vivo. O resultado é “Ventre”, disco de estreia da banda.

"Não ficamos parados enquanto trabalhávamos no disco. Viajamos um pouco, fomos aprendendo com outras bandas, em outras cidades. Tivemos muita sorte de encontrar pessoas de ouvido aberto pra gente!", explica Larissa Conforto, baterista da banda.

Formada em 2012, a Ventre conta ainda com a guitarra e a voz de Gabriel Ventura e o baixo de Hugo Noguchi e reflete em sua música a amizade de seus integrantes. Figuras carimbadas para quem acompanha a cena, eles já tocavam juntos antes mesmo da formação da banda. Sua experiência como músicos molda o mar de sensações que dão forma ao álbum de estreia, produzido pela própria banda com ajuda de amigos encontrados pelo caminho. O peso e a leveza dançam em arranjos que misturam estilos e referências com maturidade de anos de carreira.

A base melódica de Hugo e Larissa são o alicerce para as letras e guitarras ruidosas de Gabriel Ventura. "O filho é do Gabriel. Eu e o Hugo só pegamos pra criar", brinca Conforto, em certo ponto da conversa.

Com letras confessionais e observativas, Gabriel surpreende ao tocar com propriedade em temas como desejo, saudade e efeitos do tempo no amor.

"Falo do que sabemos falar. Com os relacionamentos vividos, acho que foi natural que os atritos e o que é bom dessa vida transpareça no que eu escrevo", comenta.

"Ventre", resultado de tanto trabalho e tanta cumplicidade, foi lançado de forma independente em streaming e download gratuito. Produzido pela própria banda, o álbum contou com a ajuda de muitos profissionais e estúdios durante sua gestação. E a lista é grande. O disco da Ventre passou pelo Ministéreo, estúdio do Júnior Tostoi, guitarrista do Lenine, que também mixou duas músicas; O Quarto, de Bruno Giorgi, que acompanhou toda a pré-produção e também foi engenheiro e produtor em outros estúdios.  

Eles passaram também pela lendária Toca do Bandido, onde o concurso da Converse Rubber Tracks proporcionou uma diária com o engenheiro de som americano Aaron Bastinelli. O disco ainda teve passagem pelo Superfuzz; Estúdio Musika; Estúdio Quatrilha; Canto dos Trilhos; Maravilha 8; Monoaural.  Uma das faixas foi mixada no Espírito Santo com Gil Mello (Subtrópico e guitarrista da Mango) e Alexandre Barcelos.  Por fim, a masterização foi feita por Matheus Gomes no Magic Master.

"Deu trabalho, mas é fazendo que se aprende, e a experiência que ganhamos é tremenda", conclui Hugo Noguchi.

Capa do disco Arte do disco "Ventre"

RECEPÇÃO DA CRÍTICA

Lançado no fim de outubro,  "Ventre" alcançou sucesso de crítica e figurou em diversas listas dos melhores do ano em sites especializados. Na lista dos “150 melhores discos nacionais de 2015”, da revista Tramp, a banda ficou em 18º lugar. O site de música Brasileiríssimos produziu uma playlist das “Melhores Música de 2015” e a canção “Quente” aparece na lista disponibilizada no aplicativo Spotify.

O blog Miojo Indie, em sua lista de “50 Melhores Álbuns Nacionais de 2015”, inclui o disco de estreia da Ventre no 12º lugar e o definiu como “urgente, raivoso e essencialmente honesto”. Já o site Música Pavê incluiu a banda em três listas: “Cinco Músicas Brasileiras Mais Bonitas de 2015”, com “Carnaval”, “Quinze Bandas que Resumem 2015” e ainda na lista de “Quinze Discos que Resumem 2015”.

Quem também colocou a Ventre em um lista foi o portal IG, que incluiu o álbum entre os “15 Melhores Discos Nacionais de 2015”. O blog Monkeybuzz, parceiro da MTV, incluiu a banda nas listas de “50 Melhores Faixas de 2015”, com a Ventre em 29º lugar; e nas de “10 Melhores Estreias de 2015”, sem colocações.

Um dos blogs culturais mais prestigiados da atualidade, o Tenho Mais Discos Que Amigos, colocou a Ventre em 2º lugar na lista dos “50 Melhores Discos Nacionais de 2015”, ficando atrás apenas da cantora Elza Soares. A publicação definiu o álbum como “duro e poético na medida certa, amarrado por excelentes momentos instrumentais. Uma ótima surpresa e um sopro de esperança de bons tempos a vir por aí.”.


TURNÊ DE DIVULGAÇÃO

Muito mais importante que a opinião da crítica, é a recepção dos fãs. Tendo excursionado em toda a Região Sudeste e preparando uma turnê nacional em 2016, a Ventre recebeu o convite para abrir o show da banda El-Efecto, também do Rio de Janeiro, que influenciou todos os integrantes do grupo. O show aconteceu no Imperator, durante o Rio Novo Rock, evento que apresenta as bandas de destaque da cena independente nacional. A apresentação rendeu um DVD Ao Vivo, que será lançado em 2016, com a apresentação das duas bandas.

A turnê de divulgação do álbum passou pelas cidades do Rio de Janeiro, Petrópolis, Vitória, Belo Horizonte, Brasília, São Bernardo do Campo e São Paulo.

Ouça:

Ventre no Spotify: https://play.spotify.com/album/0y9FnoBQGAodwsdcWaGc5J

Ventre no Youtube: 
https://www.youtube.com/channel/UCgLNc2kTLEuSU3RbTmiygjA

Falamos sobre:

Conteúdo exclusivo:

Sobre o site:

O SOULROCK é um site que tratará a nova música independente brasileira. As conexões com o passado e suas reverberações com o futuro.Vai mostrar também a cena autoral ribeirão-pretana de um jeito jamais retratada.
O caldeirão está aberto.