SoulRock

Música independente brasileira

Tulipa Ruiz - Dancê

15 de maio de 2015 Resenhas /

tulipa

por Chicão Gaspar

Saiu o Dancê, o terceiro e novo disco da cantora e compositora Tulipa Ruiz. E ela continua a mesma: voz potente, afinada e afiada! Gritinhos excêntricos, agudos, a lá Gal Costa, mas que já são típicos da cantora, marca resgistrada dela. O novo trabalho é mais dançante e menos rock, algumas faixas flertam com flashbacks setentistas; não tem baladinhas bonitinhas que são fáceis de ouvir, como nos que antecederam, porém é o mais maduro dos trabalhos que ela já fez.

A novidade deste disco, em relação aos anteriores, são os arranjos de sopros/metais: majestosos, bonitos, classudos. Em alguns momentos me lembraram à Rogério Duprat, o grande arranjador tropicalista. Eles dão vida e intensidade às músicas, criam atmosferas, dinâmicas, narrativas, dramatizam. Os arranjos foram assinados por Marcio Arantes, Jacques Mathias e Alberto Continentino.

O que não é novidade é a ótima produção musical feita pelo irmão da cantora e co-autor das faixas, Gustavo Ruiz. Sem muita firula nas concepções musicais e com timbres orgânicos, a impressão que dá é que o disco saí pronto para ser executado ao vivo. Os instrumentos são muito bem orquestrados, encaixados, conversam entre si. Econômicos quando necessário, abundantes quando tem que ser. Junto com Victor Rice (mixagem) e Fernando Sanches (masterização), outros dois monstros da pós-produção musical, Gustavo criou muito bem a sonoridade deste disco.

Aliás, Tulipa esteve muito bem acompanhada neste trabalho. Além dos inseparaveis Luiz Chagas (pai-guitarrista) e Gustavo Ruiz, ela conta com as participações especiais de Felipe e Manoel Cordeiro, Kassin, Alberto Continentino, Marcelo Cabral, Sergio Machado, trio Metá-Metá Kiko Dinucci, Juçara Marçal, Thiago França, Dudu Tsuda e, para fechar, as participaçoes mais que especiais de João Donato e Lanny Gordin.

Dancê, é um passo à frente que Tulipa Ruiz dá em relação à geração MPB Indie e, sem dúvida, já é uma das grandes cantoras e compositoras da música contemporânea brasileira.

Obs.: para não dizer que tudo são flores, a única coisa do disco que incomoda esse capira que vos escreve, é o sotaque paulistano que Tulipa deixa escapar na pronuncia de algumas frases!

Ouça Dancê:
http://www.tuliparuiz.com.br/dance


Falamos sobre:

Conteúdo exclusivo:

Sobre o site:

O SOULROCK é um site que tratará a nova música independente brasileira. As conexões com o passado e suas reverberações com o futuro.Vai mostrar também a cena autoral ribeirão-pretana de um jeito jamais retratada.
O caldeirão está aberto.