SoulRock

Música independente brasileira

Diogo Strausz

23 de abril de 2015 Bandas /

diogo
Foto: Eduardo Magalhães

Um dos principais nomes da nova cena musical carioca, Strausz lançou em janeiro de 2015, seu álbum de estreia “Spectrum Vol.1″, trazendo a bagagem acumulada como produtor e uma lista de convidados especiais grande.

“Spectrum se refere ao espectro musical e emocional do álbum. Eu sou novo, tenho muito o que explorar e esse álbum é uma chance de suprir meu desejo de me aventurar”, comenta o artista.

Além de produtor, Diogo Strausz é compositor, arranjador e multinstrumentista que faz da pluralidade de estilos marca de seu trabalho. Descrito pela conceituada Spin Magazine como uma “colisão de tecnobrega com Aphex Twin, Tom Zé e um pouco do estilo da DFA no ponto certo”, Strausz prepara, para o começo de 2015, seu álbum de estreia “Spectrum Vol.1″.

Atuante no meio cultural carioca desde o começo dos anos 2000 com sua participação na banda R. Sigma, Strausz passou a se destacar com um trabalho autoral desde 2011, quando começou a colaborar com artistas de diversas partes do mundo. Naquele ano, ele trabalhou com o produtor italiano de electro house Discoforgia, com o trio de indie disco indonésio Mjolnir e remixou a faixa “Calça de Ginástica”, do produtor Kassin.

No ano seguinte, Diogo lançou o EP “Garoto Nacional” pelo extinto selo Penetra Records. Contava com a faixa original, criada sobre o tema do clássico programa de TV National Kid, e remixes feitos pelo carioca Leo Justi, pelos parceiros do Mjolnir e o produtor americano de dubstep Circuit Bored. O vídeo do single, dirigido pelo cineasta Júlio Secchin, reunia referências da cultura oriental que iam de Godzilla e Pokémons aos filmes do japonês Satoshi Kon. O resultado ganhou destaque em sites de todo o mundo, entre eles a Vice (em artigo traduzido para várias línguas), The Creator’s Project e Boing Boing. No mesmo ano foi convidado a gravar o programa Experimente, do canal Multishow, que foi ao ar em outubro de 2013.

Além de seu trabalho ganhar uma nova mídia nesse período, 2013 marcou a busca de ampliar o escopo de produção para novos gêneros e misturas. O marco inicial foi o álbum “Serviço”, de Castello Branco. Produzido por Strausz junto do próprio Castello Branco, Tomás Tróia (parceiros da época de R. Sigma) e de Lôu Caldeira, o álbum foi recebido com elogios pela crítica e considerado um dos principais lançamentos independentes daquele ano.

Em 2014, ele assinou trilhas para marcas como Coca-Cola, Ana Capri e Sucos Do Bem. Produziu o EP “Pausa”, do cantor de MPB João Capdeville, o EP “Ninguém está sozinho”, da banda de rock Sound Bullet, assim como o álbum “Meanwhile in Rio”, do fotógrafo e filmmaker britânico Jacob Perlmutter, além de participar da coletânea “Hy Brazil Vol. 1″, do curador carioca Chico Dub, com a faixa “Me Ama”, que conta com os vocais de Kassin.

Esse ano marca também a produção do CD “Rainha dos Raios”, da cantora Alice Caymmi, que chegou à lista de álbuns mais vendidos na iTunes Store e foi considerado um dos melhores lançamentos do ano por boa parte da crítica especializada. O espetáculo baseado no disco, dirigido por Paulo Borges, tem direção musical de Diogo. Além disso, a faixa “Como vês” se tornou abertura da minissérie “Felizes para sempre?”, da Rede Globo.

O laureado trabalho ao lado de Alice colocou Diogo na lista do Jornal O Globo de artistas para se prestar atenção em 2015 e abriu caminho para um álbum solo.

“O meu objetivo como produtor é sempre buscar e transformar em música a essência do artista”, diz Strausz. “O processo foi baseado nisso e se ficou bom foi em grande parte pela Alice ser uma artista tão interessante. Eu gosto do álbum porque nele você a ouve, gostando ou não é ela quem está ali com toda a sua pluralidade e intensidade. Por isso me bate um sentimento muito positivo quando escuto, de missão cumprida”, avalia.

A diversidade de trabalhos em que Diogo tem colocado seu talento à prova é uma das influências de “Spectrum Vol.1″, seu primeiro álbum completo, que passa por diversos estilos de música, da disco ao tecnobrega, do drum and bass e easy listening ao samba. Cada faixa teve um artista convidado e foi criada pensando no estilo de cada um.

A lista de participações especiais conta com Alice Caymmi, Apollo, Danilo Caymmi, Jacob Perlmutter (Reino Unido), Brent Arnold (EUA), Kassin (na já divulgada “Me Ama”), Keops e Raony (da banda Medulla) e Leno, cantor da Jovem Guarda e pai de Diogo.

O primeiro single do álbum é a faixa “Não deixe de alimentar”, lançada com exclusividade pela revista Rolling Stone Brasil, e conta com vocal de Ledjanne Motta e Maria Pia. Cheia de groove e com uma cara setentista, a música é um das queridinhas do produtor.

“Eu vejo ela como um pano de água quente. Respirar devagar e pensar duas vezes nunca foi tão importante quanto agora. Talvez um groove soleil e gostosinho ajude”, conta Diogo. “Quero, com esse álbum, colocar pra fora dois anos de ideias guardadas e que ficavam tocando dentro da minha cabeça sem serem ouvidas por outros. Espero poder compartilhá-las agora.”

Fonte: release.

Ouça Diogo Strausz:
https://soundcloud.com/strausz

Falamos sobre:

Conteúdo exclusivo:

Sobre o site:

O SOULROCK é um site que tratará a nova música independente brasileira. As conexões com o passado e suas reverberações com o futuro.Vai mostrar também a cena autoral ribeirão-pretana de um jeito jamais retratada.
O caldeirão está aberto.