SoulRock

Música independente brasileira

Rafael Castro

18 de março de 2015 Bandas /

rafael
Foto: Divulgação

Voltando de uma turnê maluca por cinco países da Europa, sonhei que uma garota dizia que faço ‘Música Gata’. Imaginei que beats eletrônicos antigos, maquiagem carregada, sintetizadores, salto alto, guitarras com litros de chorus e unhas prateadas compunham o gênero. ‘Um Chopp e Um Sundae’ veio assim: é música gata, festeira - muito menos cabeça e muito mais quadril. É também um novo ciclo de traição do movimento, já que eu sempre fui banda de rock e acredito que os fãs ortodoxos vão ficar putos, mas depois vão acabar rebolando com a gente no putz-putz.”mais de 100 canções gravadas, todas disponíveis para download gratuito. Agora, ele divulga seu novo trabalho, “Um Chopp e um Sundae”.

Já no título, “Um Chopp e Um Sundae” carrega um convite ao deleite refrescante de sua audição enigmática que pode remeter
simultaneamente a um programa de auditório infantil com moças exibindo as coxas e um filme de ficção científica perdido na última prateleira da locadora. Captado em seu estúdio móvel entre a capital e o interior de São Paulo, o disco marca a reviravolta de Rafael Castro com a chegada de uma persona pop, colorida e requebrante. Agora, Castro solta vocais descarados e letras afiadas em sete canções originais, além de quatro versões para sucessos de Joelho de Porco, Tulipa Ruiz, Piu-Piu de Marapendí e Raimundos. Pressão e vibração.

Um Chopp e Um Sundae

Com um espetáculo divido em duas partes, uma delas executada somente com instrumentos digitais conduzindo a dança dos apaixonados e outra apenas com instrumentos analógicos tocados com a corriqueira euforia dos monumentais Fabiano Boldo, Kadu Abecassis e Arthur Kunz, Rafael Castro dá vida e movimento a “Um Chopp e um Sundae” e também traz ao palco a iluminação sincronizadíssima de Paulinho Fluxus e Eristhal Luz, além, é claro, do figurino e da cenografia roliudiana-escândalo-bafo que levam a assinatura de Thany Sanches e fecham com fita de cetim esse delicioso presente audiovisual. Sintam-se na pista. Qualquer cuidado é muito!

AFINAL, QUEM É ESSE CARA?

Rafael Castro é considerado uma das maiores revelações da música independente do Brasil nos últimos anos. Jovem multi-instrumentista autodidata, compõe os arranjos de todos os instrumentos de suas músicas. Em 6 anos de carreira e hiperatividade lançou 8 discos com mais de 100 canções gravadas, todas disponíveis para download gratuito. Agora, ele divulga seu novo trabalho, “Um Chopp e um Sundae”.

O show de Castro foi eleito o melhor de 2012 no Guia do Jornal Folha de S. Paulo, um dos principais do Brasil. Seu último disco “Lembra?” é citado nas listas de melhores discos lançados recentemente em revistas como Rolling Stone, Billboard e Playboy.

Depois de tocar por todos os cantos, de pequenos bares a grandes festivais do Brasil, o artista fez em 2014 sua primeira tour na Europa, somando dez apresentações em cidades como Londres, Bruxelas, Paris, Barcelona e Lisboa. Tem cinco clipes estranhíssimos lançados e exibidos
em emissoras de TV como MTV, Vh1 e Multishow, e na internet já conta com centenas de milhares de visualizações.

Devido ao seu estilo camaleônico Rafael Castro é constantemente comparado a nomes que não tem nada a ver entre si como Jards Macalé, Caetano Veloso, Adam Green, Os Mutantes, Jacques Brel, Roberto Carlos, Dirty Projectors, e já foi chamado até de “Jack White Brasileiro”.
Tudo culpa da crítica especializada.

Ouça o som do Rafael Castro:
https://soundcloud.com/rafaelcastro


Falamos sobre:

Conteúdo exclusivo:

Sobre o site:

O SOULROCK é um site que tratará a nova música independente brasileira. As conexões com o passado e suas reverberações com o futuro.Vai mostrar também a cena autoral ribeirão-pretana de um jeito jamais retratada.
O caldeirão está aberto.